Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Frigotto dominante na terra do sol nascente!


A Vorc Series inaugurou a segunda metade da temporada da Clio Cup visitando o templo de Suzuka, que em seu reduzido traçado da versão East, acomodou (espremeu) os 27 pilotos que se fizeram presentes para disputar a tão desejada vitória em terras orientais.

Classificação

Apresentando o traçado mais curto da temporada, com tempo de volta abaixo de 1 minuto, já era de se esperar que a sessão de classificação fosse tensa e apenas definida nos últimos instantes. Quinze carros ficaram a menos de um segundo da volta do pole position. As atenções iniciais foram voltadas para Rafael Borgosman, Gustavo Frigotto e Caio Russi, pilotos que tem demonstrado extrema perícia para extrair nas duas voltas lançadas da qualificação o melhor de seus equipamentos. Contudo, a volta mais rápida da sessão ficou com a grata surpresa da noite, Thiago Procópio, mostrou força e encaixou uma belíssima volta em (0:54.535), marcando sua primeira pole na temporada e conquistando o ponto extra pela façanha.
Rafael Borgosman (0:54.565), Caio Russi (0:54.616), Gustavo Frigotto (0:54.667), Marcos Furriel (0:54.849), Samuel Pontes (0:54.967), Carlos Barreto (0:54.968), Israel Muffato (0:55.074), Wendel George (0:55.086) e Diogo Souto (0:55.108) foram os dez pilotos mais rápido.


1ª Bateria

Com o início da primeira bateria os carros entraram em ação e fizeram uma largada livre de maiores incidentes. Thiago Procópio não conseguiu otimizar os procedimentos de largada e encontrou dificuldades para tracionar seu Clio no momento correto, assim a vantagem construída pela pole position caiu por terra e o piloto foi engolido na largada por Rafael Borgosman, Caio Russi e Gustavo Frigotto, caindo assim para o quarto posto.
Rafael Borgosman assumiu a liderança, mas o ritmo dos ponteiros era muito parecido e o líder não conseguia abrir vantagem, os carros seguiam em fila indiana empurrando a traseira do carro da frente.  O primeiro piloto a colocar as ferramentas na mesa e assumir o risco de uma ultrapassagem foi Gustavo Frigotto; já na volta 2 o piloto demonstrou perícia ao jogar seu carro por dentro na curva 1 para ultrapassar Caio Russi, logo em seguida, com ímpeto incontido começou a pressionar o líder de forma contundente, pelo que ultrapassar Rafael Borgosman foi apenas uma questão de tempo. Por sua vez, Caio Russi aproveitou da manobra de Frigotto sobre Borgosman para também atacar o agora segundo colocado. Os pilotos dividiram várias curvas num respeitoso porta a porta, o que permitiu que Thiago Procópio também entrasse na disputa, além da aproximação de Marcos Furriel. Foram várias curvas lado a lado até que Caio Russi conseguiu prevalecer e assumir a segunda posição. Poucas voltas depois foi a vez de Thiago Procópio ultrapassar Borgosman, relegando o piloto da Fronzen ao quarto posto.
Na liderança Gustavo Frigotto seguia consolidando sua vantagem, enquanto a briga seguia alucinante entre Thiago Procópio, Rafael Borgosman, Samuel Pontes, Marcos Furriel e Israel Muffato. Nos instantes finais da corrida Borgosman encontrou uma oportunidade e se lançou para ultrapassar Procópio e assumir a terceira posição.
Ao término da primeira bateria a vitória ficou mesmo com Gustavo Frigotto, que conseguiu ainda levar o ponto extra pelo maior número de voltas lideradas (24), a segunda colocação foi para Caio Russi, com Rafael Borgosman fechando o pódio. Thiago Procópio (4º), Marcos Furriel (5º) e dono da volta mais rápida da corrida (0:54.500), Israel Muffato (6º), Wendel George (7º) e Samuel Pontes (8º) fecharam o top 8 que invertem o grid na segunda bateria.
O top climber da etapa foi Emerson Czerkawsky (15 posições)
Abandonaram por quebras o ou acidentes: Raphael Arqueti, Tarso Marques e Júnior Ferreira.



2ª Bateria

Com a inversão de grid Samuel Pontes e Wendel George dividiram a primeira fila e, desta vez, a maldição da âncora pairou sobre o piloto da HVM, que largou muito mal, e perdeu várias posições. Samuel Pontes largou bem e manteve a ponta, contudo sua corrida ficou duramente comprometida após Israel Muffato errar uma manobra de tentativa de ultrapassagem, colidir com o piloto da BSP e causar um tremendo salseiro no pelotão que se agigantava para cima do clio rodado na pista. Após o acidente Muffato acabou ficando com a liderança, seguido de perto por Gustavo Frigotto e Rafael Borgsman, que brigavam e trocavam de posição a cada volta, abrilhantando a etapa e demonstrando a enorme qualidade técnica dos pilotos.

Como de praxe a segunda bateria seguia mais movimentada e, desta vez também mais acidentada. Neto Silva, Endrigo de Castro de Roni Champ se envolveram em um acidente triplo e os pilotos foram parar no muro, danificando consideravelmente seus carros para a seqüência da corrida.
Decidido, Gustavo Frigotto não demorou muito a atacar e ultrapassar Israel Muffato para assumir a liderança. Rafael Borgosman, tentando não perder contato com o líder também forçou para assumir a segunda posição, contudo quase causou um acidente e precisou se recolher para estudar um melhor momento de ataque em outra oportunidade, e ela não demorou a aparecer; o piloto da Frozen tangenciou melhor a curva 0 e entrou na reta com mais ação para assumir definitivamente a segunda colocação. Nas voltas seguintes foi a vez de Caio Russi também passar o rolo compressor sobre Muffato e assumir o terceiro posto.
Restando 15 minutos para o fim da segunda bateria Caio Russi errou sozinho na curva zero, rodou e bateu de frente no muro, danificando significativamente seu carro e perdendo muitas posições. Poucos instantes depois foi a vez de Emerson Czerkawsky também danificar sua HVM em um acidente.
Briga interessante se desenhava na quarta posição, com Wendel George se defendendo por várias voltas dos ataques constantes de Marcos Furriel e Carlos Barreto. A briga se seguiu ate Wendel danificar a suspensão de seu Clio e abandonar a prova.
A corrida seguiu ate seus momentos finais com uma aula de pilotagem de Gustavo Frigotto, o piloto venceu as duas baterias da noite e abriu considerável vantagem na luta pelo título. Mais uma vez Frigotto ficou com o ponto extra por ter liderado o maior número de voltas da etapa (24), enquanto o ponto adicional pela volta mais rápida ficou com Rafael Borgosman (0:54.376) segundo colocado nesta última bateria. Fechou o pódio o piloto da HVM, Marcos Furriel.
Israel Muffato (4º), Carlos Barreto (5º), Diogo Souto (6º), Emerson Czerkawsky (7º), Tarso Marques (8º), Kleber Stippi (9º) e Enzo Sofiato (10º) fecharam o top 10.
O ponto extra de top climber da bateria ficou para Tarso Marques e suas 18 posições conquistadas.
Abandonaram por quebras o ou acidentes: Wendel George, Gilson Rodrigues, Endrigo de Castro, Ricardo Senior, Thiago Procópio e Anderson Medeiros.



Gustavo Frigotto segue lider do campeonato e disparou ainda mais a frente no campeonato com 236 pontos, abrindo 74 pontos com relação a Carlos Barreto que agora é vice lider do campeonato, Neto Silva segue em terceiro com Caio Russi vindo em quarto no campeonato.
Dependendo a combinação de resultados, Gustavo Frigotto já pode sair campeão de Gold Coast.




Já no campeonato de equipes a Minardi Team HVM segue lider com BSP Racing a 135 pontos atrás, com a Hot Car Competições em terceira n campeonato.




A Vorc Series retorna no dia 24/03 para a penúltima etapa do campeonato no circuito de Surfers Paradise no Austrália.



Texto por Raphael Arqueti. 

*Analises
Bateria 1
Kleber Stippi > Wendel George
Wendel foi considerado culpado pelo toque que ocasionou a rodada de Kleber Stippi. punição de 13 segundos

Bateria 2
Junior Ferreira > Enzo Sofiato
Enzo foi considerado culpado em ultrapassagem onde dá um toque em Junior o tirando do traçado e fazendo a ultrapassagem de forma irregular. punição de 5 segundos

Raphael Arquetti > Enzo Sofiato
Enzo foi considerado culpado pelo toque que ocasionou a rodada de Arquetti. Punição de 13 segundos

Gilson Rodrigues > Kleber Stippi
Kleber Stippi foi considerado culpado pelo toque que ocasionou o acidente de Gilson Rodrigues. Punição de 13 segundos

*Após pedido de revisão, A punição foi retirada por ser considerado inocente após reanalises por 2x1 a favor da absolvição

Advertência.
Caio Russi
Se envolver em disputas com outros carros estando em posição de retardatário.

VT da etapa:


Nenhum comentário:

Postar um comentário