Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Caio Russi domina a grande final e conquista vice campeonato.



A Vorc Series chegou à Alemanha para a etapa final da T1 2017 da Clio Cup com duas baterias sediadas no mítico circuito de Nurburgring, em sua versão Sprint. Se por um lado o título já havia sido definido com uma etapa de antecedência, a disputa seguia aberta entre três pilotos com chances reais de conquistar um honradíssimo vice campeonato. Caio Russi, Carlos Barreto e Neto Silva foram os protagonistas desta arrepiante disputa.

Classificação
A sessão classificatória revelou um afiadíssimo Caio Russi. Confirmando o melhor desempenho demonstrado nos treinos ao longo da semana o piloto da Racer Clube encaixou uma volta praticamente perfeita e conquistou a pole position com um giro na casa de 1:38.018, garantindo de quebra um ponto extra pela façanha e largando na frente na disputa pelo vice campeonato.
Thiago Procópio também registrou excelente volta e ficou apenas dois décimos de segundo atrás da volta mais rápida. Com um tempo de 1:38.213 o piloto ficou com a segunda posição, compondo a primeira fila.
Marcos Furriel (1:38.550), Carlos Barreto (1:38.553) fecharam a segunda fila e foram os últimos a andar no mesmo segundo da volta da pole. Alisson Zanoni (1:39.226), Anderson Medeiros (1:39.405), Wendel George (1:39.568), Arthur Targa (1:39.609), Enzo Sofiato (1:39.966) e Ricardo Sênior (1:40.027) completaram o Top 10.



1ª Bateria
Iniciada a primeira bateria, Caio Russi beneficiou-se da largada pouco eficiente de Thiago Procópio e não encontrou resistência para manter a ponta. Marcos Furriel e Carlos Barreto também se aproveitaram da situação para ultrapassarem Procópio e assumir a segunda e terceira posições respectivamente.
Ainda nas primeiras curvas Furriel se mostrou realmente decidido a vencer, o piloto da HVM e atacou Caio Russi de forma eficiente e conseguiu a ultrapassagem.  Contudo, a confirmação pelo simulador de que Marcos Furriel havia queimado a largada, obrigando-o a pagar um drive through ainda na abertura da segunda volta pôs fim ao sonho do piloto da HVM de vencer a primeira bateria. Com isso Caio Russi voltava à liderança e Carlos Barreto era agora o segundo colocado. Neto silva, que também tinha chances de ser vice campeão vinha tendo uma corrida conturbada e se espremia num assanhado pelotão intermediário repleto de boas disputas, incluindo a excelente corrida de recuperação de Marcos Furriel.
Entre os ponteiros Thiago Procópio exercia grande pressão sobre Carlos Barreto, que suava para se defender das inúmeras investidas volta a volta. Quem se beneficiou desta briga foi Caio Russi; o piloto mantinha-se com confortável vantagem na liderança e não era ameaçado.
Corrida relativamente tranqüila mesmo apenas para o líder. Marcos Furriel caçava Neto Silva, que por sua vez, para fugir de Furriel iniciou uma verdadeira fuga ultrapassando adversários, sempre tentando deixar um oponente entre o carro da BSP e da HVM.
Restando pouco menos que três minutos para o fim da bateria Thiago Procópio enfim conseguiu vencer a resistência de Carlos Barreto e assumiu a segunda posição. Barreto ainda tentou recuperar a posição, mas não havia mais tempo.
Com isso Caio Russi venceu essa excelente primeira bateria e, com pista livre também foi capaz de fazer a melhor volta da corrida (1:38.092), somando mais um ponto extra.
Thiago Procópio e Carlos Barreto completaram o concorridíssimo pódio. Arthur Targa cruzou a linha de chegada em quarto e Neto Silva em quinto. Atrás deles Marcos Furriel em sexto e Ricardo Senior em sétimo, com Wendel George chegando em oitavo para largar na ponta as segunda bateria.
Os top climbers foram Neto Silva e Atos Domani, com 11 posições conquistadas por cada piloto.
Abandonaram: Bento Rosato, Júnior Ferreira, Raphael Arqueti, Geraldo Max, Rodrigo Rocha e Emerson Czerkawsky.
Com o hat trick, Caio Russi foi para a segunda prova da noite com uma bela vantagem na briga pelo vice campeoato.



2ª Bateria
Grid devidamente invertido, Wendel George e Ricardo Sênior na linha de frente do pelotão. Luzes verdes se acendem e é dada a largada para a última bateria da temporada. E desta vez quem largou mal foi Ricardo Sênior, facilitando a missão de Wendel em manter a liderança. Só que esta tranqüilidade não durou uma curva, isto porque o piloto da HVM errou a tomada da curva um e foi na área de escape, perdendo assim muitas posições e abandonando logo em seguida. Com o vacilo duplo dos ponteiros, Marcos Furriel e Neto Silva pularam para primeiro e segundo, com Arthur Targa e Carlos Barreto vindo logo atrás.
Assim como na primeira bateria as disputas seguiam intensas e os pilotos do pelotão intermediário até ensaiaram um four wide há poucos metros da curva zero. Enquanto isso Caio Russi demonstrava muito apetite e negociava rapidamente as ultrapassagens. Não demorou muito para que o piloto da Racer Clube engolisse seus adversários para assumir a terceira posição ainda nos minutos iniciais da prova. 
Thiago Procópio mais uma vez seguia colado com Carlos Barreto na briga pela quarta posição, junto a eles Arthur Targa tentava fazer o papel de escudeiro para seu companheiro de equipe. Contudo a conexão de Targa apresentou problemas e o carro do piloto começou a oscilar na pista, até que seu Clio apareceu rodado na grama. Logo, Barreto dava adeus à chance de se ver distante de Procópio.
Na segunda posição Neto Silva sofreu com o desequilíbrio de seu carro na frenagem da curva um e abriu espaço para a manobra de ultrapassagem de Caio Russi. Nas voltas seguintes Furriel e Russi alternavam voltas mais rápidas da prova demonstrando ter um ritmo acima dos concorrentes.
Restando treze minutos para o fim da etapa Carlos Barreto enfim conseguiu colocar um carro entre ele e Thiago Procópio. Depois de muita luta Barreto ultrapassou Neto Silva, assumiu a terceira posição e deixou o carro da BSP entre eles.
Restando seis minutos para o fim da etapa Caio Russi havia conseguido tirar toda vantagem de Marcos Furriel e chegou de vez no piloto da HVM para brigar pela vitória. Enquanto isso Neto Silva fez um inesperado pit stop, permitindo assim que Thiago Procópio assumisse a quarta posição.
Quando tudo levava a crer que Marcos Furriel resistiria a pressão e levaria a vitória, o piloto da HVM errou sozinho na frenagem da curva um e facilitou a vida de Caio Russi abrindo caminho para a vitória do piloto da Racer Clube, que foi o dono da noite e conquistou com propriedade o vice campeonato.
Furriel cruzou a linha na segunda posição, Carlos Barreto mais uma vez esteve no pódio ao chegar em terceiro. Em seguida vieram Neto Silva e Thiago Procópio. Na sexta posição chegou Anderson Medeiros seguido por Enzo Sofiato e a dupla da Atlantic, Ricardo Sênior e Carlos Reina. Daniel Gomes fechou o top 10.


Gustavo Frigotto já era campeão antecipado, com Caio Russi conseguindo o segundo lugar no campeonato e Carlos Barreto o terceiro.


No de equipes a Minardi Team HVM garantiu o titulo, seguido da BSP Racing e da Hot Car Competições que conquistou o terceiro lugar na ultima etapa.



A Vorc Series agradece a todos por mais uma temporada memorável! A Clio Cup retorna para a T2/2017 no dia 05/05. As inscrições já se encontram abertas. Para mais detalhes acesse inscricoes Clio cup T2  2017



Texto por Raphael Arqueti. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário