Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Do calor do Rio de Janeiro, ao calor das disputas.


A Vorc realizou nesta última quarta feira, em terras brasileiras, a segunda etapa do campeonato da Cart Series e o palco desta emocionante disputa foi o saudoso circuito de Jacarepaguá, em seu traçado oval, batizado de Emerson Fittipadi. A pista oferece uma interessante mescla de curvas, sendo duas delas feitas em altíssima velocidade, nos moldes dos circuitos ovais e outras duas com características de circuito misto, bem fechadas, com forte frenagem e reduções de marcha.

Classificação
Durante a sessão de classificação vimos um dominante Bruno Miranda acelerar fundo e cravar a pole em 39.630, seguido de perto por Diego Said (39.872) e Pedro França (39.941), únicos pilotos a girarem na casa de 39 segundos.
Na quarta colocação largou Rafael Gonçalves (40.211), em quinto Levi Ávila (40.269), logo a frente de Yannes Zola (40.377) sexto colocado. Na quarta fila Emerson Czerkawsky (40.406) e Rodrigo Oliveira (40.426) e fechando o grupo dos dez pilotos mais rápidos, Dann Murilo (40.443) e Ricardo Prediger (40.594).


Corrida
Antes do início da prova, ainda durante a volta de apresentação, num breve momento de falta de concentração, Rodrigo Oliveira reacelerou bruscamente seu carro, provavelmente buscando o melhor aquecimento dos pneus, mas acabou errando a mão da manobra e bateu na traseira de Yannes Zola, perdendo o bico de seu carro e precisando voltas aos boxes para efetuar os reparos.
Quando o safety car recolheu e as luzes verdes se acenderam a largada se deu de forma tranquila. Bruno Miranda se manteve por um curto momento na liderança sendo pressionado por um Diego Said bem posicionado se aproveitando do vácuo para no início da volta dois fazer a ultrapassagem.
Ricardo Prediger, em espetacular largada pulou de décimo para terceiro, enquanto Levi Ávila ganhou uma posição e se colocou em quarto. O breve momento de disputas acirradas na pista foi interrompido pela primeira bandeira amarela da noite, Rodrigo Garcia causou um acidente de grandes proporções ao errar o ponto de frenagem de uma curva e bater forte contra os carros de Dann Murilo, Emerson Czerkawsky e Paulo Maeda. Garcia ainda bateu contra o muro e capotou, provocando a entrada do carro de segurança.
A corrida foi retomada restando 40 minutos para o encerramento da prova, e ao agitar da bandeira verde Bruno Miranda relargou melhor que Diego Said e mergulhou já na primeira curva para retomar a liderança. Em bandeira verde a corrida novamente não durou mais que duas voltas; os pilotos estavam encontrando dificuldades para encontrar o ponto correto de frenagem nas curvas de baixa e os acidentes seguiam acontecendo. Desta vez Dann Murilo bateu na traseira de Wagner Antonelo e perdeu a roda e logo em seguida Wendel George foi quem passou reto e acertou em cheio a traseira de Pedro França, perdendo as asas dianteira e traseira, causando assim nova entrada do safety car.
Na segunda relargada da noite Diego Said apareceu novamente à frente de Bruno Miranda, no inicio da prova os dois pilotos demonstravam ter mais condições de se destacar e brigar pela vitória e ficavam se alterando na liderança.
Restando 34 minutos para o fim da prova o carro de Neto silva destracionou sozinho na saída da curva 2 e rodou na pista, enquanto Pedro de Oliveira, que vinha logo atrás não conseguiu desviar e ambos colidiram. Com o acidente Neto Silva perdeu o bico do carro e tentou levar seu veículo até os pits, contudo antes que pudesse chegar o piloto acabou escapando reto e batendo contra o muro, perdendo desta vez sua asa traseira e acionando novamente a bandeira amarela em todo o circuito.
Na relargada Pedro França, que estava posicionado em pista logo atrás dos dois líderes, mas de fato estava uma volta atrás, aproveitou a bandeira verde e fez um movimento ousado para ultrapassar os ponteiros e retirar a volta que estava em desvantagem. A presença de Pedro França logo a frente do líder causou certo alvoroço na corrida, pois o piloto não tinha ritmo para abrir dos ponteiros, com isso o pelotão se agrupou e Levi Ávila se assanhou para fazer ultrapassagem e assumir a segunda posição, quase no mesmo instante uma batida envolvendo dois dos postulantes à vitória; Diego Said e Ricardo Prediger. O piloto da Schnell chegou muito forte no ponto de frenagem, tentou jogar seu carro para esquerda para evitar uma colisão com Said, mas logo a sua frente vinha outro carro e Prediger fez novamente o movimento para a direita, deixando Said sem possibilidade de reação. A colisão foi responsável pelo quarto safety car da noite.
Sem a perseguição de Diego Said, Bruno Miranda se viu livre na relargada para impor um ritmo forte e abrir vantagem sobre Levi Ávila, o segundo colocado. A corrida enfim fluía por mais tempo em bandeira verde, as disputas de posição aconteciam sem maiores problemas e, Emseron Czerkawsky, em excelente corrida de recuperação conseguia assumir a terceira posição nos dezoito minutos finais de prova.
A corrida encaminhava-se para seus treze minutos finais quando Levi cometeu um pequeno erro e abriu uma brecha para que Emerson aproveitasse da situação e assumisse o segundo posto, seguido bem de perto por Pedro de Oliveira.
Wagner antonelo e Rodrigo Oliveira na disputa pela sétima posição se enroscaram em uma batida forte e pela quinta vez o carro de segurança precisou entrar na pista.
Na relargada Bruno Miranda se deu bem e deixou um retardatário (Pedro França) entre ele e os demais pilotos que degladiavam-se pela segunda posição. A presença incomoda do retardatário num ponto tão crítico de disputa de posições cobrou seu preço e mais um acidente de grandes proporções ocorreu nos cinco minutos finais. Emerson Czerkawsky tentava se livrar do retardatário quando França bateu em sua traseira, jogando a HVM de Emerson contra o muro. Também danificado Pedro França ainda se envolveu em outro acidente quase que imediatamente; o piloto seguiu lento na pista enquanto Tarso Marques contornava uma curva de alta e não teve tempo de desviar do retardatário, acertando em cheio seu carro e provocando mais uma bandeira amarela em todo o circuito. Outros pilotos também não conseguiram desviar dos destroços e também de envolveram em acidentes menores.
O safety car recolheu para que os pilotos tivessem a ultima volta de prova sob bandeira verde e apesar de os pilotos terem sido arrojados para tentar ganhar alguma posição no final a última volta ocorreu sem incidentes.
Bruno de Oliveira então sagrou-se o grande vencedor da noite, registrando ainda o maior número de voltas lideradas (38), em segundo lugar Pedro de Oliveira e completando o pódio Ricardo Prediger. Em quarto lugar chegou Rafael Gonçalves seguido por Diego Said e Yannes Zola; em sétimo Paulo Maeda, oitado Emerson Czerkawsky, nono Levi Ávila, detentor da melhor volta da corrida (40.296) e completando os dez primeiros Silvio Cividini.
Abandonaram: Tarso Marques, Pedro França, Rodrigo Garcia, Rodrigo Oliveira e Dann Murilo.
A Cart Series volta no dia 24/05 para a terceira etapa, iniciando a reta final do campeonato, no circuito de Mid Ohio, Estados Unidos.

 Bruno Miranda dispara na liderança do campeonato com 65 pontos, Diego Said segue na vice liderança mas agora 13 pontos atras, e Ricardo Prediger ainda em terceiro mas agora empatado com Levi Avila seu companheiro de equipe.

A BMRS Motorsports assumiu a liderança do campeonato de equipes, Black Wings RT vice lider, seguida da Team Schnell que caiu para terceira no campeonato de equipes.


Texto por Raphael Arqueti. 

Protestos e Punições
Diego Said > Ricardo Prediger
Prediger punido em 13s conforme o regulamento, ao bater em Said ainda que sem intenção, causou prejuízo a Said

Paulo Maeda > Tarso Marques
Advertência Tarso Marques, o incidente não causou um acidente, porém o piloto fica de observação após o incidente. Situação que seria totalmente resolvida conversando no pós race e não com protesto.

Paulo Maeda > Neto Silva
Em ovais os pilotos não são obrigados a dar passagem, cabe o bom senso, no lance reclamado houve uma divisão de curva na 1 nenhum toque ou acidente.

Emerson Czerkawsky > Pedro França
Pedro França punido ao bater em Czerkawsky ainda mais sendo retardatário, como houve abandono o piloto ficará sem qualificação na proxima etapa. (Caso o piloto não compareça a etapa a punição fica para o carro #99 cujo ele fazia substituição)


VT da Etapa

Nenhum comentário:

Postar um comentário