Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Um quase oval, mas a emoção foi de um!


Sejam todos novamente bem vindos! A Vorc Series deu início à T2 2017 da Clio Cup. Com visual repaginado a liga trouxe para seus pilotos um novo mod com física de pneus modelada especificamente para o simulador Automobilista. O desafio de compreender o comportamento e as necessidades do novo carro deu uma embaralhada no grid, deixando a corrida inaugural no anel externo de Curitiba muito competitiva e democrática.

 Classificação
A sessão de classificação, com apenas duas voltas lançadas para cada piloto, aumenta a pressão e não permite erros. Neste cenário o piloto que melhor conciliou precisão e velocidade foi Pedro de Oliveira, o piloto marcou a pole position com o tempo de (50.593) e de quebra ficou com o ponto extra conferido ao detentor da posição de honra no grid.
A seu lado, compondo a primeira fila, esteve Anderson Medeiros (50.739). Logo atrás a segunda fila foi composta por Marcos Furriel (50.851) e Neto Silva (50.874). Em quinto largou Gilson Rodrigues (51.049), seguido por Ricardo Senior (51.107), Ernesto Brock (51.344), Carlos Reina (51.398), Atos Domani (51.502) e Emerson Czerkawsky (51.518) completando o grupo dos dez mais rápidos.


1ª Bateria
Quando as luzes verdes se acenderam Pedro de Oliveira largou bem e conseguiu manter a ponta. Embora Anderson Medeiros tenha emparelhado e feito a chicane lado a lado, o líder conseguiu prevalecer e manter a liderança.
A largada se deu sem acidentes e os carros completaram a primeira volta com comportamento exemplar.
Na segunda volta, em disputa pela segunda e terceira posições, Gilson Rodrigues aproveitou o vácuo para atacar Neto Silva e Anderson Medeiros jogando seu carro por dentro na freada da chicane, contudo o piloto chegou forte demais na curva e não conseguiu segurar seu Clio no freio, batendo na lateral de Anderson, empurrando seu carro para a grama, o piloto ainda voltou para a pista trocando tinta de seu Clio com Gilson, mas acabou indo para fora da pista nvoamente e perdendo muitas posições. Neto Silva, tentando se livrar do salseiro precisou tirar o pé e com isso Gilson acabou assumindo a segunda colocação. Em seguida, Ernesto Brock se aproveitou do momento de instabilidade no ritmo dos ponteiros e ultrapassou Neto Silva para assumir a terceira posição.
Os pilotos seguiam trabalhando o vácuo para decidir as ultrapassagens nas frenagens e foi assim que Carlos Reina conseguiu ultrapassar Marcos Furriel para conquistar a quinta posição. Da mesma forma Neto Silva conseguiu se recuperar sobre Ernesto Brock para reassumir a terceira colocação.
Restando 18 minutos para o fim da bateria o líder, Pedro de Oliveira, cometeu um erro sozinho ao tocar um anti cut da pista e perdeu momentaneamente o controle de seu carro. O piloto voltou para a pista, mas acabou caindo para a quarta posição, exatamente a frente da maior briga do momento, que evolvia Carlos Reina, Marcos Furriel e Emerson Czerkawsky. Neste momento Reina errou a tangência da curva zero, abriu demais e foi jogado contra o muro, danificando seu carro e perdendo muitas posições.
O ritmo intenso de prova fazia com que os erros individuais aparecessem sempre que alguém tentava ir um pouco além do limite. E foi assim, num erro de Neto Silva, que Ernesto Brock conseguiu novamente assumir a segunda posição, colocando agora em sua alça de mira o líder Gilson Rodrigues.
Pedro de Oliveira, tentando se recuperar do prejuízo causado pelo seu erro, veio reconquistando terreno e com ritmo mais forte encostou nos líderes. Neto Silva foi sua primeira vítima, nas voltas seguintes quem sucumbiu a seus ataques foi Ernesto Brock, mas não sem antes oferecer muita resistência; assim Pedro de Oliveira assumia a segunda posição e via crescer novamente suas chances de vitória.
Gilson Rodrigues, que havia aproveitado bem os momentos de liderança em virtude dos problemas enfrentados pelos pilotos que estavam com ritmo mais forte nesta bateria, não teve forças suficiente para se manter e perdeu a liderança para Pedro de Oliveira; logo após cometeu um erro e foi ultrapassado também por Ernesto Brock e Neto Silva.
E assim a primeira bateria se encaminhou para o fim, com Pedro de Oliveira conquistando a vitória para a BSP, dividindo com Gilson Rodrigues o maior número de voltas lideradas, em segundo lugar a HVM de Ernesto Brock e fechando o pódio, Neto Silva. Em quarto completou Gilson Rodrigues seguido por Lucas Berti, Atos Domani, Emerson Czerkawsky e Raphael Arqueti, fechando assim grupo dos oito primeiros que invertem o grid para a segunda bateria.
O ponto extra pela volta mais rápida da primeira bateria ficou com Pedro de Oliveira (50.654)
O top climber da etapa foi Lucas Berti, conquistando 6 posições.
Não houve abandonos.


2ª Bateria
Com a inversão de grid para a segunda bateria Raphael Arqueti e Emerson Czerkawsky dividiram a primeira fila. Logo atrás vieram Atos Domani e Lucas Berti. Na terceira fila Gilson Rodrigues e Neto silva, na quarta fila Ernesto Brock e Pedro de Oliveira.
Assim como na primeira bateria os pilotos se respeitaram e fizeram um inicio de prova sem acidentes. Raphael Arqueti largou bem e manteve a liderança seguido por Emerson Czerkawsky, Neto Silva e Lucas Berti, que logo na segunda volta conseguiu fazer duas ultrapassagens e pular para a segunda colocação. Contudo, a alegria do piloto durou pouco, logo após ser novamente ultrapassado por Emerson Czekawsky, Lucas Berti errou o ponto de frenagem, tocou no carro da HVM, acabou rodando e batendo forte nos muros do circuito de Curitiba; com isso o piloto se viu forçado a abandonar a prova em virtude dos danos na suspensão de seu Clio.
Nas voltas seguintes Neto Silva emparelhou com Raphael Arqueti na reta principal e os pilotos dividiram a chicane, com o piloto da BSP completado a ultrapassagem. Emerson Czerkawsky aproveitou da manobra de Neto e também mergulhou para dividir a chicane com Arqueti, que acabou trocando tinta com Emerson, que chegou a ficar com seu Clio de lado na pista; com isso Arqueti teve que tirar o pé para não terminar de rodar o carro de Emerson e perdeu várias posições para os pilotos que vinham logo atrás.
As disputas por posições seguiam acirradas, com alguns toques e porta a porta. E neste cenário Ernesto Brock e Pedro de Olivera acabaram se tocando, com o piloto da BSP levando a pior, ficando rodado na pista com seu carro na contramão.
Na briga pelas primeiras posições Carlos Reina, que vinha em quarto, errou na entrada da curva zero ao tentar manobra sobre Neto Silva e Anderson Medeiros, com isso o piloto foi mais um a bater forte no muro e sofrer grande prejuízo. Emerson Czerkawsky, com bom ritmo assumiu a liderança restando quinze minutos para o fim da etapa, mas logo em seguida começou a sofrer forte pressão de Anderson Medeiros, que havia conseguido se desgrudar um pouco da disputa que antes vinha travando com Neto Silva.
A pressão de Anderson em cima do líder era tamanha que depois de muitas voltas resistindo Emerson acabou errando num pronto de frenagem e deu uma pequena escapada, brecha suficiente para o piloto da BSP assumir a liderança. Emerson ainda tentou atacar bravamente nas voltas seguintes ensaiando novos ataques e quase completando a ultrapassagem, mas Anderson soube resistir.

Enquanto isso Raphael Arqueti e Marcos Furriel disputaram intensamente por várias voltas a sexta posição. Furriel chegou a ultrapassar na chicane, tomou o troco de Arqueti na curva zero, mas conseguiu entrar bem no vácuo da reta principal para consolidar a sua ultrapassagem novamente na chicane.
A corrida se encaminhou para o fim com a vitória de Anderson Medeiros, com Emerson Czerkawsky em segundo (ambos dividindo o maior números de volta na liderança), em terceiro Neto Silva, seguido por Gilson Rodrigues, Marcos Furriel, Raphael Arqueti, Atos Domani, Ricardo Senior, Ernesto Brock e Pedro de Oliveira fechando os dez primeiros.
Os pontos extra pela volta mais rápida (50.859) e top climber (8 posições) ficaram com Anderson Medeiros.
Abandono apenas o de Lucas Berti (suspensão).


No campeonato de pilotos Neto Silva assumiu a liderança após duas baterias sendo constante, Anderson Medeiros se colocou em segundo na classificação e Gilson Rodrigues em terceiro!


No campeonato de equipes, a BSP Racing assumiu a liderança do campeonato com a sub-equipe 2 vindo na vice liderança e a HVM Racing com o terceiro lugar na classificação.


 A vorc series volta dia 19/05 com a etapa de Pau, na França, certamente para mais duas baterias eletrizantes. Até lá pilotos!

Texto por Raphael Arqueti. 

VT da etapa

Nenhum comentário:

Postar um comentário